fbpx

Safra dos EUA: entenda a relação do agronegócio norte-americano com o Brasil

1 setembro 2021 Posted by: Trivela Notícias

As movimentações dos Estados Unidos da América costumam interessar a todo mundo. Não é diferente em relação ao Brasil, principalmente quando o assunto é o agronegócio, de interesse para os dois lados. A safra, por exemplo, é cercada de expectativa.

No mês de setembro, as colheitas começam. Existia uma dúvida bastante grande de como seria o desempenho das safras de milho e soja. Entretanto, a Pro Farmer, uma divisão da Farm Journal Media, apresentou resultados animadores.

De acordo com o levantamento, a estimativa é que sejam colhidos 15,116 bilhões de bushels na safra de milho, com produtividade média de 177 bushels por acre. Já a safra de soja seria de 4,436 bilhões de bushels, com uma produtividade média de 51,2 bushels por acre. Esses números são animadores para o agronegócio.

Isso acontece porque a previsão feita pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, em inglês) foi menor. Era esperado um impacto maior da seca nos estados do Oeste, mas a produtividade no Leste compensou a perda.

Por que a preocupação com a safra norte-americana?

Os Estados Unidos figuram na lista dos principais países do agronegócio mundial. É o principal produtor de milho e o segundo na soja, atrás somente do Brasil. Diminuição na colheita da safra pode acarretar em perdas em todo o planeta.

Desse modo, com a preocupação da oferta restrita, poderia acontecer uma alta na inflação dos alimentos. É a lei da oferta e demanda, que também se aplica ao agronegócio. Se houver pouca oferta do produto, mas uma procura alta, o preço sobe e pode atrapalhar diferentes negociações ao redor do globo.

Por outro lado, a projeção feita pela Pro Farmer muda drasticamente esse cenário. Acima de tudo, traz otimismo para os produtores mundiais, uma vez que não deve haver escassez dos grãos no mercado, o que poderia acirrar a concorrência.

Relação do agronegócio dos EUA com o Brasil

Como citado anteriormente, os Estados Unidos despontam entre os primeiros na produção de soja e milho. Por isso mesmo, a safra é vista com muita expectativa no mundo. O Brasil “disputa” com o país norte-americano a liderança desses grãos.

Em relação à soja, o agro brasileiro está na frente. Já se levarmos em conta o milho, são os estadunidenses quem aparecem na primeira colocação. Apesar da crescente produção no território nacional, ainda assim é bem menos que o outro país.

Hoje, os Estados Unidos são um aliado importante do Brasil no agronegócio. É o segundo principal parceiro comercial, atrás apenas da China. No último ano, as exportações para os norte-americanos foram equivalentes a 7%, de acordo com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária).

Por outro lado, as importações também ressaltam a forte parceria entre os dois países. Os brasileiros compram bastante dos estadunidenses, com destaque para a presença de defensivos agrícolas e tecnologias usadas no agronegócio. Isso destaca como ambos são extremamente importantes para a economia do outro, principalmente no campo.

Open chat